NOTÍCIAS

UNICID | 22 de setembro de 2021

Docente coordena pesquisa que identifica a relação entre equidade e vulnerabilidade social por meio da implementação do PAIC

A Profa. Dra. Vanda Mendes Ribeiro, docente dos Programas de Pós-graduação em Educação e em Formação de Gestores Educacionais, coordenou o estudo Implementação de Políticas Educacionais e Equidade em Contextos de Vulnerabilidade social, projeto financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

A pesquisa com abordagem quantitativa e qualitativa, estuda a implementação do Programa de Aprendizagem na Idade Certa (Paic), analisando a relação entre implementação, equidade e vulnerabilidade social no estado do Ceará e município de Fortaleza.

O programa foi transformado em política pública prioritária do Governo do Estado do Ceará em 2007, e tem como meta oferecer aos municípios instrumentais para a melhoria da gestão, formação continuada aos professores, materiais didáticos, apoio à gestão escolar, avaliação sistemática, entre outros.


Mais sobre a pesquisa

O estudo contou com a participação de diversos pesquisadores nacionais e de instituições internacionais (Alexandre Jerônimo Correia Lima – UFC-CE; Alexsandro Nascimento Santos – Unicid; Alicia Bonamino – PUC-Rio; Breynner Ricardo de Oliveira – UFOP-MG; Claudia Lemos Vóvio – Unifesp-SP; Cynthia Paes de Carvalho – PUC-Rio; Domingos Sávio Abreu – UFC-CE; Fernanda Marcucci – Unifesp-SP; Karina Carrasqueira – PUC-Rio; Maria do Carmo Meirelles Toledo Cruz – Unicid-SP; Naira da Costa Muylaert Lima – PUC-Rio; Paula Reis Kasmirski – FGV-EAESP ; Roberto Gimenez – Unicid; Wagner Silveira Rezende – UFJF-MG, Choukri Ben Ayed – Université de Limoges/França ; Christhophe Joigneaux, da Universidade Paris Est Créteil Maira Mamede – Université Paris-Est Créteil/França ; Sylvain Broccolichi – Université de Lille/França; Sergio Martinic – Universidad de Aysén/Chile), além de alunos da Pós-graduação.

O projeto mostrou que a equidade educacional foi ampliada também em territórios vulneráveis no Ceará e em Fortaleza. Observou-se, ainda, durante entrevistas e observação, que na escola mais equitativa em um dos territórios mais vulneráveis de Fortaleza o tempo usado para atividades em aulas é maior que a média de pesquisas feitas na América Latina e outras localidades do país.

“As entrevistas com os professores participantes do estudo revelou que estes acreditam que todas as crianças têm direito a aprender, que a aprendizagem é responsabilidade da escola e que se deve valorizar o saber do aluno como estratégia de aprendizagem”, afirma a professora Vanda.


Formação de docentes

Além disso, foi identificado pelos pesquisadores da França – Maira Mamede e Christhophe Joigneauxe Sylvain Broccolichi – três aspectos importantes sobre as políticas de formação de docentes desenvolvidas pelo PAIC que levam a bons resultados educacionais:

– Formação como acompanhamento, incluindo os recursos colocados à disposição dos docentes: não é uma questão de formação no sentido estreito e vertical do termo, mas de diálogo do que se vai ensinar e como vai se ensinar, junto aos professores.

– Redefinição no próprio trabalho docente: os cursos de formação habituam os professores a considerar que o seu trabalho se baseia numa alternância espiralar entre planejamento, tempo de aulas e avaliações que alimentam novos projetos de ensino e de criações; e não apenas como o momento da sala de aula. Esta noção está arraigada na política e se traduz em medidas visíveis e concretas, que permitem os professores terem mais tempo de dedicação ao planejamento. Ou seja: há uma alteração da concepção do trabalho docente que é operacionalizada.

– Nesta redefinição do trabalho docente e da formação como acompanhamento, há também uma redefinição do que é a autonomia e do que é professor reflexivo. Diferente do pressuposto de que a autonomia do professor significa que ele precisa resolver individualmente seus problemas de aula e aprendizagem, no PAIC existe uma corresponsabilização, em que se compreende que todos os atores são responsáveis pelo aprendizado.

“Temos outros resultados, inclusive do PNAIC (O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa) em São Paulo. Nove dissertações foram defendidas na UNICID, UFOP, UFC e na PUC-Rio. Já publicamos artigos, e outros estão submetidos ou em preparação. Os pesquisadores franceses estão especialmente interessados no caso do Ceará porque, segundo eles, a França não consegue fazer evoluir seus resultados educacionais em termos de desempenho. Eles escreveram conosco um artigo comparando a situação francesa à do Ceara”, finaliza a docente.

CADASTRE-SE

Recebas as notícias em primeira mão.